Ritz Carlton Hotel – Hong Kong

Esse post deveria ser apenas sobre o Ritz Carlton Hotel em Hong Kong… mas ao escrever eu pensei que seria mais interessante escrever sobre a experiência completa em  Hong Kong, e não apenas sobre o hotel.

Eu não sou a primeira blogueira ou escritora a dizer que Hong Kong é vibrante e excitante… misteriosa e intrigante… quanto mais eu visito a Cidade, menos eu consigo entendê-la.

Primeiro, é muito interessante ver as culturas do Leste e o Oeste se encontrando, misturando e co-existindo… Uma Ex colônia Britânica, devolvida a China, Hong Kong desenvolveu sua própria identidade, tirando o melhor dos dois mundos… Não há falta de personalidade… pelo contrario, ela é uma Cidade profunda e complexa.

Ficamos 4 dias na cidade….e escolhemos nos hospedar no Hotel Ritz Carlton pelas razões seguintes:

  • Localização –  Situado em cima da estação de metro de Kowloon no prédio do ICC … o lugar é simplesmente perfeito. Há apenas 15 minutos do aeroporto from the airport, uma pequena caminhada pelo shopping center, duas ou tres escada rolantes, e se chega ao lobby do hotel… De bonus ainda se ganha a facilidade de fazer o check in ainda no metro e não ter que carregar as malas de volta para o aeroporto.

  • Conveniência – Também tem a ver com o local… Estação central… 10 min da Disneyland, 30 min do Big Buddha, 20 min até Hollywood road…

  • Glamour – O hotel está localizado no 102 andar do prédio, que é o mais alto de  Hong Kong, e tem a piscina mais alta do mundo. Sim, voce leu certo, no top do 116 andar, a piscina tem uma vista de 360 graus do Porto de Victória, que tira o fôlego de qualquer um.

  • Conforto – Os quartos são espetaculares – confortáveis e luxuosos… e com uma vista perfeita aos seus pés. Na Cidade, não há vista mais bonita.

  • Atenção aos detalhes – Eu viajava com os meus filhos – o hotel providenciou robes de banho e artigos de toillete para as suas respectivas idades… um mimo só.
  • Indulgencia – O hotel tem vários restaurantes, incluindo 2 famosos, estrelados do Michelin. Um de 2 estrelas – Tin Lung Heen eanother um com 1 estrela – Tosca.
  • Shopping – O hotel está em cima do ICC buiding, cuja base é um enorme e luxuoso shopping center, que tem as melhores marcas internacionais, como Louis Vuitton, Chanel, Fendi, Piaget, Rolex and etc.

Acabou que nem passamos muito tempo no hotel… mas a gente queria também explorar a cidade, mas isso não quer dizer que não tenhamos aproveitado o que o hotel tinha de melhor… a piscina… as fotos vão falar mais do que as minhas 1000 palavras.

A piscina é enorme, cercada de janelas de mais de 3 metros de altura, olhando diretamente para o porto. É fácil se pegar observando a entrada e saída dos barcos e barcas do Porto.

Em Hong Kong há muito a se fazer… o melhor é sair pelas ruas batendo perna. Uma coisa que se DEVE fazer, é ir passear no no porto, e admirar o prédios do lado da ilha de Hong Kong… Uma atração muito turística é ir tomar o chá da tarde no hotel Peninsula… o que na verdade eu não recomendo. O chá é servido no lobby do hotel, onde há muito movimento, filas de espera e parece mais uma rodoviária que um hotel… uma decepção.

Como viajava com os meus filhos, decidimos ir visitar a Disneyland Hong Kong. É bem menor que a da Florida e mais ou menos do mesmo tamanho que a de Paris. Para quem adora a Disney, como a gente, é um MUST… O accesso é rápido e fácil a partir Kowloon.

Fomos também Tian Tan Buddha… Situado na Ilha de Lantau. De metro leva-se mais ou menos 30 minutes até a estação onde se pega o bondinho para ir ao Buddha. O Bondinho é uma experiência por si só, leva mais de 40 min e passa por varias partes da Ilha.  Ao chegar na estação do Buddha, se leva mais 10 minutos a pé até a base da escadaria que leva ao top e aos pés do Buddha… Eu gostei mas não sei se é um passeio indispensável.

Indispensável, entretanto, é o passeio a Macau. Ex colônia Portuguesa, também devolvida a China, Macau mantém o seu charme. Quem passeia pelas ruas, se sente em Lisboa. Arquitetura e língua oficial são o Português… embora pronunciad com sotaque chines… O lugar é super interessante e merece a visita. Uma coisa eu percebi é que Macau tem muitassss farmácias. Tantas por metro quadrado que chama a atenção… deve haver uma razão, embora eu não saiba qual é. Ir para Macau é super fácil, pois há barcas de alta velocidade saindo do porto varias vezes por dia. O trajeto leva 1 hora e não esqueça de levar o passaporte, pois é outro país.

Em termos de alimentação, em Hong Kong há de tudo. Para todos os jeitos, bolsos e apetites. A gente ama comer, logo atacamos japonês, chinês, burgers, italianos. Nõ reservamos nada já que não sabiamos bem onde estáriamos e a que horas. Logo, fomos comendo aonde encontravamos. Comemos muitissimo bem em um pequeno restaurante japonês em uma das esquinas da Hollywood Road… adoramos!

Hong Kong foi o ultimo destino de uma viagem de 2 1/2 semanas. Aproveitamos cada momento da viagem… E o ditado diz que devemos parar quando estamos no topo ou no melhor momento… No nosso caso, estávamos no mais alto hotel da Cidade e em um dos lugares mais incr’iveis do mundo… logo não há dúvida que nada poderia ter sido melhor…

xx Valentina