Dior Resort 2020 show – Um show de apreciação cultural

Eu li vários artigos sobre o show da Dior que aconteceu semana passada em Marrakech e 99% deles falavam da beleza das roupas, do lugar ou da estilista.

Não me levem a mal,  o show estava lindo,  o lugar espetacular e a estilista,  Maria Grazia Chiuri, não necessita de apresentação.

Eu adoro a marca e desde que Maria Grazia Chiuri a assumiu,  as coleções ficaram mais leves,  mais femininas e mais feministas.

Entretanto, o objetivo desse artigo não é falar da coleção por si só, mas falar do seus bastidores.

Não cansamos de ver casos de apropriação cultural… Marcas e pessoas que exploram culturas diversas das suas próprias sem incluir ou dar o devido crédito aos verdadeiro proprietários da cultura.

Mas o mundo da moda está mudando e hoje não se pensa apenas no produto final… Fazer roupas… Hoje questionamos como as fazemos, a que custo social e financeiro e com qual finalidade.

Continuamos a consumir, e muito… As marcas de luxo estão batendo recordes de rentabilidade a cada trimestre. Mais e mais queremos carregar a bolsa ou o sapato da moda, mas os ventos do consumo estão mudando de direção e entre as blogueiras que sigo e converso percebo que a palavra sustentabilidade está cada vez sendo mais usada. Queremos saber de onde e como as peças são feitas.

Marcas estão passando por um processo de verificação de identidade… Como um selo de origem…um início de compliance. Nem tudo é ainda transparente… Mas a mídia tem contríbuido enormemente com esse processo de mudança ao esclarecer a fonte, o custo de cada peça, evitando casos de exploração de mão de obra, inclusive infantil.

Antigamente, era muito mais difícil saber como as coisas eram feitas e a que custo…. Hoje esse jogo mudou!

Vanguadista nessa nova era, DIOR, já está aplicando novas regras.

A nova coleção apresentada em Marrakech é um belo exemplo de apreciação cultural. Dior selecionou artisães e estilistas locais que participaram do processo de criação da coleção dando a ela autenticidade. Professionais especializados na cultura Marroquina foram contratados para integrar os times Franceses e os Marroquinos. Um luxo.

Um maravilhoso processo de intergração em um mundo tão carente de união.

Mas o ponto alto não foi só o que aconteceu por detras das cenas… Mas o que veio para a primeira fileira do desfile. A Dior levou as artisaes e as estilistas para o show, onde puderam apreciar suas criações e serem apreciadas por elas.

Parabéns DIOR… Voces estão fazendo primeira página, não pelas roupas mas pelos valores que estão defendendo.

XX Valentina